Buscar
  • Roberta Figueiredo

Wasp Network: Pouca intriga e muito blá blá blá

Wasp Network: Rede de Espiões (2020, Olivier Assayas) é uma história baseada em fatos reais sobre uma rede de espiões cubanos que se instalou nos EUA após a Guerra Fria. Esta é uma sinopse atraente e qualquer pessoa um pouco curiosa estaria interessada em saber quando, como e onde tudo aconteceu. A resposta do diretor Olivier Assayas a essas perguntas é um filme maçante, com escolhas duvidosas de edição, que não parece saber se o foco da história está nas relações interpessoais dos personagens ou na tensão entre os dois países.


Nada contra filmes que ressaltam os conflitos internos de seus protagonistas, várias grandes obras do cinema seguem esse caminho, mas existe uma expectativa real do público quando o nome do seu filme inclui o subtítulo "rede de espiões", o espectador espera passar por momentos de alta tensão com o desenrolar de cada cena e Wasp Network tem muito pouco desses momentos, apenas dois para ser mais exata. É tão gritante a diferença desses acontecimentos para o resto do filme que eu nem preciso dizer quais são, quem assistiu sabe que eu estou falando de duas cenas marcantes que acontecem em solo e via aérea cubana.


Os espiões de Wasp Network são o oposto de James Bond

Sendo realista, não esperava um roteiro estilo 007, não era o que o trailer passava (e de James Bond já basta o Daniel Craig) mas esperava ao menos um pouco de mais interesse e carisma dos atores principais. Edgar Ramirez, no papel do primeiro espião a chegar a Miami, não passa nenhuma grande aflição, nem nos momentos que necessitam de mais expressividade de sua parte. Em defesa de Ramirez, esta pode ter sido uma escolha diretorial, mas não deixa de ser uma pena, pois sua parceira, Penelope Cruz, consegue brilhar no papel da esposa de seu personagem, algo que raramente acontece nesse tipo de filme, onde é quase uma regra mostrar mulheres como objetos de cena com pouca personalidade



Penelope consegue elevar um roteiro genérico e nos faz ter empatia por sua personagem, o que é uma marca de toda boa atriz, mas a essa altura não há dúvidas da capacidade artística dela; nesse sentido, Wasp Network não serve nem como veículo para alavancar uma atriz talentosa em busca de prêmios e reconhecimento.


Para admiradores de Gael Garcia Bernal, sinto informar que ele aparece muito pouco no filme e em nenhuma cena ele consegue deixar sua marca, esse é o show da Penelope do início ao fim.


Como brasileira, é sempre interessante assistir Wagner Moura em uma produção com alcance internacional. Continuo torcendo para que sua carreira lá fora dê muito certo e que ele consiga cada vez mais prestígio, no entanto, apesar de sua boa química com Ana de Armas, sinto que Wasp Network: Rede de Espiões não será um grande marco em sua filmografia.


Wagner Moura em "O Espião que Não me Amava" - entendedores entenderão

Com todo o seu carisma e talento considerável, Moura faz o melhor que pode, mas o roteiro truncado impede o espectador de entender as motivações de seu personagem, o que nos faz até duvidar de que de fato ele tenha sido uma pessoa real e não uma caricatura. Porém, tenho que confessar que o subplot de seu personagem arrancou as maiores risadas dos meus amigos durante a sessão online.


O diretor faz escolhas duvidosas, mas em algumas cenas pontuais há rastros do que poderia ter sido uma grande história, algumas cenas lembram alguns dos melhores filmes de ação dos anos 90. Se ao menos alguém tivesse dito para Assayas seguir mais por esse caminho...


Para não dizer que estou sendo exageradamente negativa, um grande elogio que posso fazer a Assayas é que ele acertou em não tomar lados na discussão política e nem sair em defesa de um país ou outro. Isso talvez tenha sido mais fácil por causa de sua origem francesa, mas é bom saber que o diretor não cedeu a nenhuma pressão externa para tratar algum governo como vítima da história. O filme retrata bem que as duas nações cometerem diversos inequívocos durante o conflito.


Em resumo, não estou afirmando que Wasp Network não tem seu valor, talvez este seja um bom veículo para curiosos que gostariam de saber mais sobre o momento histórico retratado, mas, como entretenimento a produção deixa muito a desejar. No final, Wasp Network vai acabar sendo mais um filme perdido entre os milhares novos títulos da Netflix lançados toda semana.


Nota: 2,5 / 5 -- Se estivesse vendo sozinha, não teria terminado

Formulário de Inscrição

©2020 por Pipoca e Guaraná. Orgulhosamente criado com Wix.com